CRÔNICAS

Era uma vez um presidente honesto, que enganou 57 milhões de trouxas

Empreendedor por natureza, o Brasileiro é acusado de criar a franquia da "Rachadinha"

Era uma vez um presidente da República honesto, que enganou 57 milhões de trouxas, incluindo pastores, padres, evangélicos e católicos, empresários, empregados e desempregados, políticos e não políticos, muitos desonestos outros investigados pela polícia e alguns até condenados.

Com apenas um versículo da bíblia, o homem que foi batizado nas águas do Rio Jordão, por um pastor que está preso por corrupção, passou 28 anos na Câmara Federal sem fazer nada como deputado, mas foi o maior empreendedor do parlamento, e atualmente é acusado de criar a franquia da “Rachadinha”.

Sem expandir aos demais parlamentares, o homem honesto procurou ensinar seus filhos, alguns mantiveram a franquia em outras casas, mas teve quem misturasse com chocolate para lucrar ainda. Sempre muito falantes, seus filhos têm adotado o silêncio sobre os áudios em que uma ex-cunhada do pai afirma que o então deputado empreendedor sabia e se envolveu diretamente na franquia da rachadinha em seu gabinete, segundo mostrou a repórter Juliana Dal Piva.

Os três herdeiros da franquia mais famosa da corrupção, que costumam ir às redes sociais para difamar os opositores ao refutar as acusações contra o pai, desta vez não deram um pio sequer. Talvez para evitar um climão entre a parentela, os empreendedores do parlamento brasileiro, que mais faturam por debaixo dos panos, já não conseguem explicar mais nem recitando o versículo da bíblia, que diz: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (João-8:32).

Esta semana, áudios vazados revelam que o presidente mais honesto do Brasil, adorado até pelos desonestos, teria integrado esquema de devolução de salários de assessores no período compreendido entre 1991 a 2018, nos mandatos de deputado federal. A apuração, os áudios e os vídeos são da coluna da jornalista Juliana Dal Piva, do site Uol. Cheio de processos por homofobia, racismo, agressão verbal, o presidente honesto tem derretido mediante sua popularidade. Ele é daquele mentiroso que acredita na própria mentira.

De acordo com a jornalista do site Uol, que dividiu a denúncia em três reportagens, e praticamente explodiu o Palácio do Planalto, local que só perde para a Papuda, no quesito hospedar atores da corrupção, o presidente que insiste dizer ser honesto, não só integrava o esquema como era quem cobrava a devolução dos salários dos assessores de seu gabinete, na franquia da Rachadinha.

Segundo Andrea Siqueira Valle, ex-cunhada do homem que enganou milhões de brasileiros, com a frase: “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”, o mandatário da da franquia teria demitido o irmão dela porque o chefe não estaria cumprindo o combinado, que era devolver o valor acertado.

“O André deu muito problema porque ele nunca devolveu o dinheiro certo que tinha que ser devolvido, entendeu? Tinha que devolver R$ 6.000 (seis mil reais), ele devolvia R$ 2.000, R$ 3.000. Foi um tempão assim, até que o Jair [Chefe da Franquia da Rachadinha] pegou e falou: ‘Chega. Pode tirar ele, porque ele nunca me devolve o dinheiro certo’”, disse Andrea. Ouça aqui o áudio na reportagem.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo