BABADO DA SEMANA

Licitação de Ferry Boat está marcada para 31 de fevereiro de 2019

O sucateamento dos ferry boats e a falta de licitação pode causar uma tragédia irreparável

Apesar que o governador Flávio Dino só acredita no Portal G1, já sabemos que nosso artigo não irá aparecer no programa eleitoral, já que somos o Portal G7. Mas vamos aproveitar para fazer uma pequena retrospectiva sobre o que o atual governador prometeu para melhorar o transporte de ferry boat, que ultimamente tem dado dor de cabeça aos usuários que fazem a travessia São Luís-Cujupe-São Luís.

Em sua campanha eleitoral de 2014, Flávio Dino prometeu realizar a tão sonhada licitação dos ferry boats, mas ficou apenas na promessa. Logo após assumir o comando do Estado, Dino ainda anunciou a licitação, mas uma vez ficou na promessa. Para quem talvez esqueceu, a licitação foi anunciada em novembro de 2015 e nunca aconteceu. (Veja aqui as matérias).

O lançamento do edital de licitação do tipo concorrência internacional para o fornecimento do serviço público de transporte aquaviário intermunicipal de passageiros, cargas e veículos, no trecho Terminal da Ponta da Espera, em São Luís, e Cujupe, em Alcântara (MA), foi lançado, mas por causa das exigências, nenhuma empresa apareceu para concorrer. Boatos circularam pelas rodas de conversas, que Flávio Dino exigiu das empresas R$ 150 milhões de reais como seguro. Os empresários estão correndo de medo até esta data. (Confira aqui uma matéria sobre a licitação).

Naquele ano, o assunto era o mesmo, licitação do ferry boat. Todos os meios e veículos de comunicação noticiaram. Já se passaram 3 anos da licitação e até agora apenas os problemas no transporte aquaviário que promete cometer uma tragédia. Só em setembro deste ano já foram duas ameaças e por pouco não aconteceu uma tragédia. Neste período por exemplo, o ferry boat transporta dezenas de políticos fazendo campanha na baixada maranhense, mas nenhum toca no assunto, já que o problema é grande e difícil de ser solucionado. Nesta sexta-feira (28/09) os passageiros passaram perrengue ao tentar desembarcar no porto da Ponta da Espera, o cabo que faz a prancha do ferry boat baixar e subir, quebrou e dificultou a saída dos passageiros e veículos, a viagem durou 3h para finalizar.

Nada no ferry boat pode ser aproveitado, alguns sequer respeitam os passageiros. Nas embarcações da empresa Internacional Marítima a viagem é bem mais rápida, dura em média 1h30 o percurso, mas não tem sequer uma TV para os passageiros se distraírem. As TVs foram retiradas e nunca mais foram colocadas de volta. A desculpa é um tal ECAD  (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição), que não tem o que fazer e quer mandar em tudo. Nos ferry boats da Servi Porto tem TV, mas as embarcações demoram até 3h para concluir um percurso, que segundo a MOB, deveria ser em 1h10.

Além de toda falta de respeito com os clientes, a viagem de ferry boat é a única do mundo, eu falei do mundo, em que o passageiro compra seu bilhete sem documento, compra em grandes quantidades e os fiscais não tem controle de nada. O que rege a capacidade da embarcação é simplesmente o horário de saída do ferry. Se durante o período da embarcação venderem 10 mil passagens, todos embarcam, basta dar tempo.

Outra falta de respeito com o passageiro é o local de venda do bilhete, que muda a cada viagem. Por exemplo, tem dia que a venda é no terminal, mas tem dia que é em uma cabine no estacionamento, em chuva ou sol, passageiros idosos, crianças, gestantes, deficientes ou como estiver. Se o passageiro chegar na bilheteria para comprar sua passagem de 18h, só vai poder comprar após o termino de venda para a viagem das 17h. Incrível como a tecnologia não atinge esse povo arcaico.

Na falta de condições e conforto nem se fala. A viagem demorada, o passageiro, seja ele idoso, gestante, criança ou adulto, tem que aguentar uma viagem sentado em uma cadeira de plástico, aquelas usadas em ônibus coletivo há 20 anos. No banheiro a sujeira toma de conta, as pias nem se fala e nas lanchonetes o preço é o mesmo dos aeroportos do Brasil. As escadas para subir são uma afronta ao povo, e nada até hoje nunca foi resolvido. Há alguns meses alguns deputados foram fazer vídeos dentro do ferry boat para colocar no Facebook, e tentar enganar a povo mais uma vez.

Já viajo há vários anos nesse transporte e não vejo nenhuma melhora, pelo contrário, tenho visto uma piora e sinto que uma tragédia está anunciada. Já reclamei que as passagens não são datadas e vejo uma sonegação de impostos nesse transporte, já que a passagem não identifica o passageiro. Como sou da moda antiga, vou juntar minhas passagens e pedir a nota fiscal nas empresas para ouvir o que vão me falar. É só aguardar, que a licitação ninguém tem mais esperança.

A Agência de Mobilidade Urbana (MOB) que foi criada para fiscalizar esse tipo de transporte, nunca resolveu o problema, muito pelo contrário, aumentou o número de viagens e causou prejuízo às empresas, segundo os donos, já que fazem mais viagens, gastam mais combustível e faturam pouco. Na verdade, a MOB se tornou uma cabide de emprego e não faz nada. Até o funcionamento só inicia a partir das 13h.

VEJA COMO FOI A SITUAÇÃO DOS FERRY BOATS: TESTE SUA CORAGEM.

#Este artigo mostra a situação dos ferry boats e conta uma história de forma humorada, começando pela manchete, já que não existe essa data no calendário brasileiro. Mas a situação é séria e precisa ser vista pelas autoridades do Estado com a máxima de urgência. Uma tragédia está sendo anunciada.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo