POLÍCIA

Mais de 500 assaltos a coletivos ocorreram este ano na Grande Ilha

A grande violência mostra a fragilidade na Segurança Pública do Maranhão

Um total de 506 roubos a coletivos já ocorreram na Grande Ilha desde janeiro deste ano até a última quarta-feira (18), segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Somente no ano passado, 1.608 coletivos foram alvos de bandidos e registrando uma média mensal de 134 casos.

Os dados da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSPMA) ainda revelam que, apenas, no mês de janeiro deste ano houve o registro de 119 roubos a coletivos na Região Metropolitana de São Luís. Em fevereiro, um total de 96 casos; março, 113; abril, 115 e ainda houve o registro de 63 casos entre primeiro de maio até o último dia 18.

Enquanto, ao longo dos cinco primeiros meses do ano passado, 592 ônibus foram alvos de bandidos na Grande Ilha. Apenas, no primeiro mês de 2021, o registro foi de 104 casos. No mês de fevereiro, 101; março, um total de 124 roubos a coletivos; abril, 134 e 129 ao longo do mês de maio.

Ato criminoso

Somente na quarta-feira (18), dois coletivos foram atacados por bandidos. Um dos casos resultou na morte de Regina Rodrigues França, de 39 anos. De acordo com a polícia, ela morreu após se jogar da janela do coletivo, que faz linha Paranã/São Francisco, que estava sendo assaltado por uma dupla criminosa, na MA-201, conhecida como Estrada de Ribamar, na Grande Ilha.

Dois criminosos armados entraram no coletivo como passageiros nas proximidades da antiga indústria Quimicanorte e, logo após, anunciaram o assalto. Regina França ficou nervosa ao presenciar o assalto e acabou pulando da janela do coletivo em movimento.

Ela teria batido com a cabeça no meio-fio dessa via estadual. Ela sofreu um corte na cabeça e morreu ainda no local. De posse do produto do roubo, os criminosos fugiram em direção a uma área de matagal.

Os policiais começaram a realizar incursões na Ilha e no começo da noite conseguiram prender os suspeitos, no Recanto Verde, em Paço do Lumiar. Em poder dos detidos, foram apreendidos arma de fogo e produtos provenientes do roubo.

O motorista de coletivo, Igor dos Santos, de 37 anos, foi esfaqueado durante um assalto, que aconteceu na avenida Guajajaras, na altura do bairro São Cristóvão. A polícia informou que a vítima estava conduzindo o ônibus que fazia a linha Santa Clara/João Paulo. Em dado momento, o suspeito entrou no coletivo, logo após, tirou uma faca e tomou o celular de uma passageira.

O motorista, ao notar a movimentação estranha, reagiu ao assalto e travou uma luta corporal com o suspeito. Com a faca em mãos, o criminoso golpeou o condutor do ônibus. Toda a ação foi registrada por câmeras do circuito interno desse veículo.

Mesmo ferido, o motorista conseguiu jogar o criminoso para fora do ônibus. O suspeito fugiu e ainda não foi identificado. A vítima foi atendida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhada para Socorrão II, na Cidade Operária.

Ação do sindicato

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, por meio de nota, esclareceu que em relação ao caso do motorista esfaqueado, ocorrido na noite do dia último dia 18, adotou de imediato todas as medidas cabíveis para garantir o atendimento ao trabalhador que sofreu ferimentos nas mãos e no pescoço e está fora de perigo.

A entidade também já cobrou das forças policiais providências para que os criminosos sejam identificados e presos. Na manhã desta quinta-feira (19), por determinação do presidente do sindicato, Marcelo Brito, ofícios foram expedidos e encaminhados para os órgãos envolvidos, principalmente, Secretaria de Segurança Pública, para que a prática seja combatida com mais rigor em toda a Grande São Luís.

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão também alerta que se a insegurança dentro dos coletivos continuar, todos os rodoviários cruzarão os braços e o sistema de transporte público em São Luís irá parar até que o serviço volte a ser seguro para os trabalhadores e usuários.

Combate

O secretário de Segurança Pública (SSP), coronel Sílvio Leite, declarou que as forças de segurança desenvolvem ações intensificadas de forma diária para combater esse tipo de empreitada criminosa na Grande. Uma desses trabalho é a operação Catraca que é deflagrada pela Polícia Militar.

Sílvio Leite também afirmou que somente neste ano já ocorreram mais de 92 mil abordagens como também houve várias apreensões e prisões durante incursões policiais na Ilha. Ainda neste ano vai ser instalado o Batalhão Motopatrulhamento destinado a realizar abordagens.

Roubo a coletivos na Grande Ilha em 2022

Janeiro: 119 casos

Fevereiro: 96 casos

Março: 113 casos

Abril: 115 casos

Maio (1º até o dia 18): 63 casos

Com informações do Imirante

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!