POLÍTICA

MOB reajusta tarifa de água da Caema em mais de 22%

A empresa pública com o pior serviço prestado no Maranhão abraçada com a MOB

Parece que a Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Público (MOB), odeia literalmente o consumidor maranhense. Se não bastasse as perseguições em motoristas de vans e microônibus na Região do Munin e Baixada Maranhense, o órgão estadual ainda reajustou as passagens do transporte terrestre para quem viaja via ferry boat. E não para por aí. A tarifa da conta de água da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA), foi reajustada pela MOB em 22,33% no mês de janeiro e pegou os consumidores de calça arriada.

Sem a mínima serventia para o povo do Maranhão, a MOB só tem dois objetivos no Estado: aumentar tarifas ao consumidor e ser usada como cabide de empregos para aliados do governo do Maranhão e do PT. A Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos é comandada pelo petista, delegado de Polícia Civil, Lawrence Mello Pereira, após uma articulação entre o Governo do Estado e Partido dos Trabalhadores, assumiu a presidência do órgão.

A resolução MOB/MA Nº 01/2019, foi publicado no Diário Oficial do Estado em 9 de janeiro de 2019 e entrou em vigor em fevereiro. A MOB se identifica como a agência reguladora de saneamento básico. Mesmo com a Nota de Esclarecimento no mural da sede da companhia, milhares de consumidores não foram avisados do reajuste. A CAEMA deveria comunicar através de um veículo de comunicação de massa, o reajuste da tarifa.

Somente no mês de abril que o consumidor foi perceber que o aumento de na conta de água. O pedreiro Luís Augusto Pimenta, morador do bairro Sá Viana, disse que achava que havia vazamento em sua casa. “Eu achava que tinha um vazamento em minha casa, mas descobrir que a MOB aumentou a tarifa em 22,33%, eu nem sabia que era a MOB a responsável por aumentar tarifa de água. A Caema presta um serviço péssimo aos maranhenses, mas cobra caro o produto que nem fornece com qualidade. Se continuar assim, vou ter que racionar ainda mais, se não vou trabalhar só para pagar água e luz”, destacou o consumidor.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close