BABADO DA SEMANA

Para deixar prisão, pastor que batizou Bolsonaro precisa pagar fiança de R$ 1 milhão

Chefe do PSC, ele é acusado de corrupção na área da saúde em conjunto com o ex-governador Wilson Witzel, também integrante da legenda

A juíza substituta da 7ª Vara Federal Criminal, Caroline Figueiredo, aceitou o pedido de liberdade do Pastor Everaldo, aquele que batizou Bolsonaro e presidente nacional do PSC, mas estipulou o pagamento de fiança de R$ 1 milhão. Ele foi preso no ano passado, acusado de participar de esquema de corrupção com o ex-governador Wilson Witzel, integrante da mesma legenda.

O processo tramitava no Superior Tribunal de Justiça (STJ), mas como Witzel perdeu o cargo por ter sofrido impeachment, foi envidado à Justiça Federal do Rio de Janeiro.

Além de pagar a fiança, Pastor Everaldo terá que usar tornozeleira eletrônica, entregar o passaporte à Justiça, não se ausentar do Rio de Janeiro, não frequentar repartições públicas, incluindo locais de partidos políticos.

O Pastor Everaldo foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) com o ex-governador Wilson Witzel e mais 11 pessoas sob a acusação de corrupção e lavagem de dinheiro.

Assinada pela subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo, a denúncia apontou que o grupo ocultou e dissimulou “a natureza, a origem, a localização, a disposição, a movimentação e a propriedade dos mais de R$ 53,3 milhões por intermédio de organização criminosa”.

Por Site Metrópole

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo