MEIO AMBIENTE

Prefeitura de Alcântara viabiliza área para construção de aterro sanitário

O Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da Região Metropolitana da Grande São Luís é um instrumento para a gestão de resíduos sólidos

A Prefeitura de Alcântara dá mais uma passo para a implementação de um dos projetos mais grandiosos para o município nos dias atuais. A construção de um aterro sanitário é meta inevitável do prefeito Padre William. As conversas em torno desse assunto foram retomadas pela gestão municipal ainda em janeiro deste ano, bem no início da gestão.

Na última sexta-feira (19/11) a Prefeitura publicou o Decreto Nº 48/2021 tornando de conhecimento geral a viabilização de um terreno para a construção do aterro sanitário no município. A área do aterro foi escolhida por uma equipe técnica da Agência Executiva Metropolitana (AGEM) do Maranhão. Veja o decreto na íntegra clicando AQUI…

O aterro sanitário de Alcântara está previsto no Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da Região Metropolitana da Grande São Luís, com recurso oriundo da Agência Executiva Metropolitana (AGEM) do Maranhão. O Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da Região Metropolitana da Grande São Luís é um instrumento para a gestão de resíduos sólidos nos 13 municípios que integram a Região Metropolitana da Grande São Luís, incluindo o município de Alcântara.

Uma das razões de Alcântara poder contar com o aterro é a sua localização geográfica. Outro motivo é a inviabilidade de mandar seus resíduos sólidos para o Aterro do Titara, localizado a mais de 140 quilômetros de distância. Esses fatores fizeram com que Alcântara fosse contemplada com recurso financeiro para a implantação de um aterro sanitário de pequeno porte. Dessa forma, o Governo do Maranhão, por meio da AGEM, fechou uma parceria com a Prefeitura de Alcântara, que, em contrapartida, ficou de doar um terreno para a construção do aterro.

Em janeiro de 2021, a pedido do Secretário Municipal de Meio Ambiente, Jefferson Horley Feitosa Serejo, representantes da AGEM vieram ao município de Alcântara. “Nessa ocasião, foi feita uma visita técnica à área onde se pretende instalar o aterro. Participaram, o prefeito Padre William Guimarães, o secretário municipal de Meio Ambiente, e o representante da AGEM, o engenheiro civil especialista em Resíduos Sólidos, Pedro Aurélio Carneiro”, narra Jefferson.

Para o Secretário de Meio Ambiente, a instalação de um aterro sanitário em Alcântara vai elevar o município a um patamar que poucos no Maranhão conseguiram alcançar, e confirma a compromisso da atual gestão municipal com a preservação do meio ambiente e o bem-estar da população. “Esse é um instrumento fundamental, pois ele soluciona parte dos problemas causados pelo excesso de lixo. É importante para a manutenção da saúde pública, além de ser menos nocivos ao meio ambiente do que os lixões”, explica o secretário, ao revelar que ‘o projeto da instalação do aterro em Alcântara prevê ainda a recuperação ambiental do Lixão do Pavão, onde atualmente são despejados os resíduos sólidos do Município’.

A área onde será construído o aterro sanitário de Alcântara está a cerca de 20 quilômetros do aeroporto. O objetivo é não atrapalhar o fluxo das aeronaves e evitar acidentes geralmente causados por aves que costuma habitam os lixões. Com a publicação do Decreto Nº 14, o próximo passo antes do início das obras é a licitação. “Temos um prazo de 40 a 60 dias até a licitação ficar pronta. A partir daí iniciamos a obra, que deve ser concluída entre de uns quatro meses”, afirma Vinícius Metz, secretário municipal de Infraestrutura. Depois de pronto, o aterro será entregue à administrado municipal de Alcântara, que poderá firmar convênio com outros municípios para manter o espaço. “A área do atual lixão vai ser recuperada. Todo o lixo que está lá será enterrado, a área reflorestada e transformada em um parque”, finaliza o secretário de Infraestrutura.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo