ENTREVISTA

Caema desrespeita moradores do Residencial Jomar Moraes

O condomínio está sem água a quase 01 mês e idosos, deficientes e grávidas sofrem em busca de água na vizinhança do bairro

Não é de Hoje que a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) desrespeita os maranhenses, explora com taxas altíssimas, presta um péssimo serviço e não fornece o produto. Mesmo cometendo todos esses crimes e rasgando o código de defesa do consumidor, o Procon Maranhão nunca tomou uma providência, já que são órgãos ligados ao Governo do Maranhão.

No Residencial Jomar Moraes, condomínio popular inaugurado há menos de um ano, os moradores sofrem com a falta de água e a Caema sequer deu uma satisfação aos consumidores. Idosos, deficientes físicos, grávidas e demais moradores, estão carregando água no balde de comunidades dos redores, um desgaste físico, principalmente para quem usa muletas.

O senhor Francisco, de 65 anos, é mais um dos moradores do Complexo de condomínios do Residencial Jomar Moraes, localizado no Parque Pindorama, que está sofrendo com a falta de água, há um mês no bairro. Em entrevista concedida nesta quarta-feira (01) a TV Alternativa, canal 19.1, Francisco, que é deficiente físico, falou da dificuldade que tem enfrentado com a falta de água.

“Morávamos em palafitas, no bairro Alemanha. Mas fomos contemplados com estes apartamentos, porém temos vivido dias difíceis sem água. A minha casa está toda suja; meu banheiro sujo. Situação difícil demais, principalmente para mim, que sou deficiente, não tenho como carregar água em baldes. Amigos e vizinhos que me ajudam todos os dias”, conta em trecho da entrevista.

Como o Portal G7 mostrou em matéria anterior, os quase 2 mil moradores que residem no Jomar Moraes, estão há aproximadamente um mês sem água nas torneiras. Sobre o assunto o G7 questionou a Caema, a Construtora Escudo e a Secretaria de Estado das Cidades, esta última que fez publicidade com a inauguração, porém abandonou o condomínio em seguida. Das três, apenas a Escudo se manifestou em nota esclarecendo que a Caema passou a gerir o abastecimento de água e o saneamento básico do complexo de condomínios, desde 19 de novembro de 2020.

Enquanto se decide de quem é a responsabilidade — milhares de pessoas, incluindo seu Francisco e outros deficientes, além de crianças e pessoas operadas, sofrem com a falta de água. Apenas uma torneira, localizada atrás do bloco 8 do condomínio, milagrosamente tem água. Ela é disputada todos os dias pelos moradores, que carregam baldes até o quarto andar dos apartamentos.

A triste realidade no Residencial Jomar Moraes é mais uma prova de que a Secid é apenas publicidade, a Caema presta um péssimo serviço e o Procon só existe para atrapalhar a vida de quem trabalha, paga impostos e gera empregos no Maranhão. O Ministério Público do Consumidor, deveria averiguar essa situação ao invés de se preocupar com propagada de cachaça no Maranhão.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo