BABADO DA SEMANA

Comunidades quilombolas vão manter a interdição da MA-211 em Bequimão

A construção da ponte sobre o rio Pericumã iniciou em setembro de 2016, e nunca terminou

Não é de hoje que a construção da ponte sobre o rio Pericumã vem impactando o Território Quilombola do Ramal do Quindiua e Comunidades circunvizinhas. Desde 2017 as Comunidades denunciam uma série de abusos: retirada de piçarra sem autorização da comunidade, alta velocidade dos veículos pesados, pondo em risco a vida dos moradores, a poeira intensa que prejudica a saúde, principalmente, das crianças e dos idosos.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, árvore, multidão, atividades ao ar livre e natureza

Ainda naquele ano as Comunidades fecharam a estrada, e foram feitas uma série de reuniões com representantes do governo do Maranhão e a empresa (Consórcio Epeng/FN Sondagens). A situação foi amenizada e como resultado dessa luta a comunidade do Ramal do Quindiua conseguiu de compensação social um poço artesiano.

A imagem pode conter: fogo, atividades ao ar livre e natureza

Mas, a situação da estrada todos os anos tem sido essa, só é feita a manutenção depois que a comunidade protesta para ter seu direito garantido. As lideranças das comunidades em reunião decidiram manter a mobilização até o momento em que as reivindicações forem atendidas. Também decidiram que se nada for feito até a próxima semana, a manifestação será feita no canteiro de obras da empresa responsável pela construção da ponte sobre o rio Pericumā.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, árvore, atividades ao ar livre e natureza

Sabemos da importância da ponte para nossa região. Um sonho sendo realizado, mas não é por isso que não podemos minimizar seus impactos em nossas vidas. Aproveitamos para agradecer a todo/as que estão nos ajudando com sua participação ou com alimentação. Como diz nosso lema: “quem gosta de nós somos nós, e aqueles que vêm nos ajudar”.

Por MoqBeq

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo