BABADO DA SEMANA

Defensores da cloroquina tentam colar imagem de Bolsonaro à vacina

Deputados federais que puxam saco de Bolsonaro nas redes sociais, agora provaram do próprio veneno

Filho do presidente Jair Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) exaltou o pai e indicou a hidroxicloroquina – tratamento sem eficácia comprovada contra a covid-19 – em ao menos 32 mensagens no Twitter.

Eduardo também replicou o posicionamento do pai, em outubro, de que a vacina Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan e pela farmacêutica chinesa Sinovac, não seria comprada pelo governo federal.

Tal postura não impediu o deputado de elogiar, nesta terça-feira (19), o envio de doses da Coronavac a todo o Brasil pela Força Aérea Brasileira (FAB) e o Ministério da Saúde.
Eduardo buscou colar a imagem de Jair Bolsonaro à entrega dos imunizantes, mesmo que o presidente desdenhe da vacina patrocinada, em sua maior parte, pelo estado de São Paulo.

“Em menos de 24h após a Anvisa aprovar o uso emergencial, o Governo Jair Bolsonaro, que tentam tentam te dizer não se preocupar com vacina e a logística de distribuição, já enviava vacinas para todo Brasil”, escreveu o deputado. Algumas localidades receberam os imunizantes apenas na terça-feira, por erros logísticos do Ministério da Saúde.

Outros políticos da base bolsonarista na Câmara dos Deputados mandaram mensagens elogiando o envio de vacinas a estados brasileiros, sempre citando uma ação do presidente da República. Bibo Nunes (PSL-RS) e Filipe Barros (PSL-PR) também fizeram elogios à Bolsonaro pelo envio da vacina que ele repetidas vezes criticou em público.

“Conferindo a entrega das vacinas no Paraná, pagas 100% pelo governo federal do nosso presidente Jair Bolsonaro”, escreveu Filipe Barros em seu Facebook. No Twitter, porém, o deputado já se mostrou contra o lockdown, definiu a covid-19 como “o vírus chinês” e defendeu o uso da hidroxicloroquina até a semana passada.

O deputado Bibo Nunes, do PSL gaúcho, escreveu na semana passada que não gostaria de tomar a Coronavac, e que considerava a eficácia da vacina muito baixa. Também chegou a defender a hidroxicloroquina em ao menos 26 oportunidades.

Nesta terça, o discurso foi outro:

Bolsonaristas negam contradição

O deputado Filipe Barros respondeu que não considera contraditória a mudança de postura e argumentou que o fato de chamar a covid-19 de “vírus chinês” e defender o tratamento precoce não o faz ser contra as vacinas.

“Defendo o tratamento precoce. Os negacionistas alegam que ele seria ineficaz porque não há comprovação científica. Isso é um raciocínio ilógico e falso. O fato de AINDA não haver comprovação científica não permite concluir que o tratamento precoce é necessariamente ineficaz”, escreveu o deputado, completando que tal eficácia virá “a contragosto do lobby dos laboratórios de vacinas”.

“A Anvisa aprovou duas vacinas e o Governo Federal pagou por todas as vacinas que estão sendo aplicadas no Brasil”, disse Filipe.

“É meu dever, como deputado federal, fiscalizar o uso desse dinheiro, garantindo que seja bem usado e que a vacina chegue a quem deve chegar” , afirmou.

Bibo Nunes disse que não mudou de ideia quanto à vacina. “Qualquer vacina aprovada pela Anvisa pode ser tomada, sempre defendi isso”, disse o parlamentar. “Só fui contra o [João] Doria dizer que a vacina é dele, e que o Butantan é de São Paulo”.

Nunes também defendeu o papel de Jair Bolsonaro em relação às vacinas. “O presidente tem feito o máximo de esforços para atender a população. Isso qualquer presidente faria”, comentou.

O parlamentar gaúcho disse não ter mudado de opinião sobre o suposto “tratamento precoce” contra a covid-19 –mesmo com a literatura médica apresentando comprovadas provas de ela não funciona.

Em um vídeo publicado no final da tarde desta terça, Eduardo Bolsonaro disse que o atraso do Brasil é fruto de pessoas que “sem qualquer escrúpulo, buscam se aproveitar politicamente” para denegrir a figura de seu pai.

O deputado afirmou, sem apresentar provas, que o motivo da crítica do presidente seria o fato de que o Instituto Butantan não queria passar o imunizante pelo crivo da Anvisa.

“Como a intenção é sempre criar narrativas para denegrir o presidente Bolsonaro dizendo que não tinha plano para vacinação, que estava atrasado e etc…Em menos de 24h, o Ministério da Saúde, por meio das Forças Armadas, já está levando para todos os estados”, disse.

Parlamentares comemoram Coronavac

Deputados federais de diferentes filiações partidárias usaram das suas redes sociais para comemorar a chegada das vacinas a seus estados. Até a última atualização desta reportagem, 25 estados e o Distrito Federal já tinham iniciado a vacinação de grupos prioritários. O Acre deve fazer o mesmo a partir desta quarta-feira (20).

Em Alagoas, Isnaldo Bulhões Jr (MDB) agradeceu ao governador do seu estado, Renan Calheiros Filho (MDB) pelo empenho na chegada do insumo ao estado.

A deputada Aline Gurgel (Republicanos-AP) publicou um vídeo da primeira pessoa vacinada de seu estado – o enfermeiro indígena Demétrio Tyrió.

Laercio Oliveira (PP-SE) chamou a Coronavac de “injeção de ânimo” ao estado.

Já o mineiro Charlles Evangelista (PSL) mostrou cerca de 15 mil vacinas chegando a Juiz de Fora, no sul de Minas Gerais.

Por Guilherme Mendes

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo