NOTÍCIAS

Deputada de Bolsonaro passeando pelo Brasil com dinheiro do contribuinte

Líder do governo Bolsonaro na Câmara, participa de agenda com empresários em Belém

A pergunta que fica é: no estado do Pará não existe PSL ou não tem deputados aliados ao presidente Jair Bolsonaro? Seria preciso mesmo uma deputada de São Paulo ir para Belém passear e falar que está palestrando sobre Reforma da Previdência? Se as despesas fossem pagas com a grana dela, ela iria fazer essa viagem? Duvido! Falam tanto em contingenciamento, cortar, economizar, crescer, mas não param de gastar dinheiro público com viagens para tentar enganar o povo. O PSL tem usado essa deputada, que fala pelos cotovelos, mas tem um léxico minúsculo, para propagar o maldito projeto da Reforma, que visa apenas ver quem trabalha, morrer trabalhando. Conhecer o norte e nordeste usando dinheiro público deve ser maravilhoso.

A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), líder do governo no Congresso Nacional, cumpre agenda na capital paraense para apresentar a nova proposta de reforma da previdência. Para isso, ela almoçou ontem (17) com empresários, palestrou sobre o assunto no auditório da Associação Comercial do Pará (ACP) e falou com a imprensa. Ela também reuniu com o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, e o governador Helder Barbalho, e ainda hoje terá encontros com outros empresários.

Durante coletiva, a parlamentar deixou claro que um dos motivos da pauta que cumpre em diversos estados do país é levar informação sobre o projeto, pois segundo ela há muitas “fake news” circulando a respeito do assunto. “A nossa guerra é de comunicação. Quando chega uma mentira e ela se espalha na internet, a gente tem que sair atrás para desfazê-la”, afirma. Segundo a deputada, “mais da metade do que se arrecada no país vai para rombo de previdência”, e quem é contra a nova previdência, “são pessoas desinformadas”, e muitos privilegiados.

De acordo com Hasselmann, apesar da campanha que realiza para tentar vender o projeto, não há dificuldades em aprovar a previdência. “Vejo que a maior dificuldade é qual a previdência que vamos aprovar. Mesmo partidos que fecharam contra, no final vão acabar votando”.

Outro problema que necessita ser combatido por meio da reforma é quanto aos tesouros estaduais. “É difícil, a conta não fecha nunca, não sobra dinheiro para investir em nada. Ou a gente aprova a reforma e dá esse fôlego aos estados e aos municípios, ou o Brasil vai quebrar definitivamente”, defende. Falando em retornos e investimentos, a parlamentar acredita que depois de aprovada a reforma, a população começará a perceber o retorno do crescimento do país em um ano. “Só a aprovação na Câmara vai dar um sinal aos investidores. Se aprovada até o final deste semestre, já começa a ter um crescimento interessante no país”, aposta.

PROTESTO

Questionada se concorda ou não com as recentes declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre as manifestações contra os cortes de recursos para a educação no país, a deputada não quis comentar. Mas, repetiu o posicionamento do presidente. “Ele sempre deixou muito claro que não compactua com baderna e arruaça. Chegou a divulgar nota pública dizendo que defendemos a liberdade de manifestação de qualquer criatura, independente de questão ideológica. Mas, vamos combinar, manifestação em dia de semana? Usando alguns alunos que nem sabiam o que estavam fazendo ali? Pelo menos me coloca com pé atrás”, dispara.

Por Michelle Daniel (Diário do Pará)

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close