HOMICÍDIO

Dono de galeteria é morto a tiros em São Luís-MA

O crime aconteceu nesta quarta-feira (21) no bairro Jardim São Cristóvão

Um crime com características de vingança deixou assustados os moradores e comerciantes da área do Jardim  São Cristóvão em São Luís-MA. No início da tarde desta quarta-feira (21), o proprietário da galeteria O Cravo e a Rosa, conhecido como “Gordinho do Galeto”, foi executado a tiros no interior de seu estabelecimento.

O crime foi praticado por um  homem que no período da manhã teria roubado uma mulher nas proximidades da galeteria. A vítima teria observado a ação do criminoso e armado com uma barra de ferro reagiu defendendo a mulher. Só que o marginal voltou e se vingou do empresário.

Após ter sido atacado com alguns golpes de barra de ferro, o assaltante fugiu. No entanto horas depois ele retornou armado com um revólver e executou o proprietário do galeto. O acusado que estaria em uma motocicleta fugiu do local e ainda não foi identificado pela polícia.

A Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) esta analisando imagens de câmeras de segurança da rua que vão auxiliar na elucidação do crime.

Sem investimentos e poucos policiais as ruas, o Maranhão está jogado às traças e a bandidagem tomando conta das cidades, matando empresários, e o governo Flávio Dino ao invés de reagir, fica as redes sociais publicando mentiras e achando que está enganado alguém.

Mostre mais

Artigos Relacionados

6 Comentários

  1. O erro do gordinho foi não ter uma arma pra se defender logo na primeira ação do bandido. Nesta hipótese o meliante nem teria retornado

    1. O erro dele foi comprar briga fiado com marginal. Simples assim. A mulher perdeu o celular, vai comprar outro e ele perdeu a vida. Pra marginal não tem herói, quando a vítima é escolhida de surpresa. Se arma resolvesse tudo, nenhuma família de policiais chorava pela morte de seus parentes.

      1. No Brasil se tivesse Pena de Morte, só morreria PPPV – Preto, Pobre, Puta e Viado. Brasil é terra de muro baixo, só vai começar arrumar, no dia que o povo parar de vender o voto e eleger alguém que derrame sangue dentro do Senado e Câmara. Se isso acontecer, uma semana depois muita coisa mudaria. Temos um Brasil politicamente covarde maltratando homem corajosos.

  2. João Filho está certíssimo. Se arma resolvesse, policial não morreria em assalto. Esse é mais um caso em que arma não adiantaria nada. O marginal ia voltar surpreendendo covardemente a vítima, ia fazer o que fez, e ainda ia levar a arma do pobre rapaz. Com isso, mais uma arma ia parar na mão de bandidos. Infelizmente!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo