CÂMARA DE SÃO LUÍS

Em entrevista à rádio Nova FM, Francisco Chaguinhas, se mostra confiante com a gestão Eduardo Braide

Chaguinhas foi eleito para o quarto mandato consecutivo de vereador de São Luís nas eleições de 2020

O vereador de São Luís, Francisco Chaguinhas (Podemos), eleito no último dia 15 de novembro de 2020 para o quarto mandato consecutivo, concedeu entrevista na tarde/noite desta sexta-feira (8) na rádio Nova FM e destacou as eleições de 2020, o cenário político ludovicense e sua confiança quanto a gestão do prefeito Eduardo Braide, que está somente há 8 dias à frente da administração municipal, mas mostrou que não foi eleito para brincar de ser prefeito.

Questionado pelo jornalista Diego Emir sobre como fez a campanha eleitoral, já que a pandemia atrapalhou os candidatos responsáveis, e que muitos políticos tradicionais ficaram pelo meio do caminho e políticos novos surgiram, Chaguinhas foi categórico ao afirmar que foi a eleição mais difícil para quem está com idade acima dos 60 anos, já que a faixa etária de idade dos eleitores é a mesma.

“Foi uma eleição atípica, observando os vereadores que tem a faixa etária de voto de meia idade ao idoso, quase todos não voltaram para a Câmara Municipal. Eu e o vereador Gutemberg, temos essa faixa etária de meia idade ao idoso. Tínhamos uma média de 5 mil votos, mas nesta eleição ficamos com pouco mais de 3.500 votos cada um, já que nosso eleitor, por conta da pandemia, não apareceu para votar e por pouco não ficamos fora desta legislatura. Houve uma mudança geral no comportamento desta eleição e do eleitor, já que os candidatos novos tiveram um avanço bastante significativo agora na câmara. Em outras legislaturas a Câmara de Vereadores era formada por parlamentares experientes. Se você observar não houve nenhum vereador acima de 60 anos eleito pela primeira vez nesta eleição em São Luís. É preciso que a democracia tenha um equilíbrio melhor, para facilitar o debate dentro do parlamento, principalmente na Câmara de São Luís, a 4ª mais antiga do Brasil”, destacou o vereador Chaguinhas, que cobra mais respeito com a vida humana.

Ainda durante a entrevista, Chaguinhas enfatizou que a democracia brasileira é muito complicada, já que existe o voto monocrático, o quinto constitucional, foro privilegiado para grande parte de brasileiros, o STF que deveria ser o guardião da constituição, mas acaba criando 12 constituições no Brasil, criando um desequilíbrio muito grande, já que deveríamos ter pelo menos três polos de discussão no pais para manter o equilíbrio. “Sabemos que qualquer governante gostaria de administrar sozinho, sem o legislativo, o judiciário, as promotorias, criando um totalitarismo, o que não é bom para a democracia”, descreveu o vereador do Podemos.

Chaguinhas também foi questionado sobre a infraestruturas de ruas e avenidas no bairro São Cristóvão, onde os moradores vivem um dilema por 8 anos anos desde a gestão do ex-prefeito Edivaldo Holanda Júnior. “O prefeito é de toda cidade assim, como o vereador, mas infelizmente o Jardim São Cristóvão I e II ficou esses 8 anos totalmente esquecido pela gestão do ex-prefeito Edivaldo Holanda Júnior. Hoje as ruas estão totalmente esburacadas, cheias de crateras, formando assim um cenário de terror. Acho uma estupidez muito grande de um gestor fazer um papelão desse, já que os bairros ao redor estão todos asfaltados, mas tínhamos um secretário que graças a Deus já foi embora, que era o Antônio Araújo, que por birra nos deixou do jeito que estamos. E hoje o prefeito Eduardo Braide nos deu nova esperança no Cruzeiro de Santa Bárbara, durante vistoria das obras, ao responder pergunta de uma repórter, afirmando que vai concluir as obras deixadas por Edivaldo Holanda Júnior, com o dinheiro que a Câmara de Vereadores aprovou para o executivo fazer obras. Edivaldo nunca citou a Câmara sobre essa verba, que aprovamos 342 milhões de reais para obras e infraestrutura de São Luís”, disse Chaguinhas, que foi categórico ao afirmar que Edivaldo distribuiu cestas básicas de asfalto aos aliados candidatos a vereador.

O vereador Chaguinhas destacou ainda, as demandas reprimidas deixadas por gestores anteriores, que até hoje fazem a população do polo São Cristóvão sofrer diariamente com falta de infraestrutura. “O prefeito Eduardo Braide entra no comando de São Luís com uma grande esperança, mas temos que entender que existem demandas reprimidas de 10, 15 anos. Só que temos duas cidades em São Luís: a cidade nobre, onde vivem aproximadamente 400 mil pessoas, lá não falta nada, todo serviço é de qualidade, já a cidade onde moram mais de 700 mil ludovicenses, o serviço público é de péssima qualidade, ou nem existe em muitos bairros carentes. A carência de asfalto é uma demanda reprimida que temos em São Luís, onde Edivaldo fez pouco e mal feito, isso significa colocar dinheiro fora e humilhar o cidadão que paga a conta”, destacou o vereador Chaguinhas.

Para finalizar a entrevista, o jornalista Osvaldo Maya questionou o vereador Chaguinhas quanto ao novo plano diretor que deve ser enviado pelo prefeito Eduardo Braide ao Legislativo Municipal. “É necessário haver mudanças, já que é o plano diretor da cidade que vai demarcar os caminhos para angariar recursos para infraestrutura da cidade. Uma cidade que não tem um plano diretor claro, encontrará dificuldades para buscar recursos federais, dificultando a vida de quem mora principalmente na zona rural. É o plano diretor que dá o diagnóstico, delimitando a zona urbana da zona rural e o prefeito Eduardo Braide é contra esse plano diretor aprovado na gestão passada, que tira uma parte da zona rural para transformar em zona urbana. A zona rural precisa é ser revitalizada, e cumprir o papel que tem, já que o município abandonou a região em gestões passadas, principalmente Edivaldo, que foi reeleito na região e como recompensa abandonou o povo”, finalizou Chaguinhas.

Por Assessoria de Chaguinhas

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo