MÃE

Entenda sobre a humanização do parto

Saiba mais sobre como é essa prática para não cair em conclusões equivocadas

Quando falamos sobre parto humanizado, é importante considerarmos que o termo não pode ser entendido como um tipo de parto, mas sim como uma assistência específica que é oferecida à gestante e ao recém-nascido durante o pré-natal, parto e pós-parto. “Essa assistência fundamenta-se em dois fatores: o primeiro é a valorização do protagonismo da mulher em sua gestação e parto, entendendo que isso significa respeitar suas escolhas. Já o segundo é a busca por um manejo do pré-natal e parto pautado por evidências científicas, com o objetivo de garantir condutas que impliquem menor risco e maior benefício para saúde da mãe e do bebê”, explica o Doutor Paulo Noronha.

A prática do parto humanizado se tornou mais conhecida e disseminada após as mulheres entenderem que são donas dos seus corpos, já que o modelo tradicional de assistência pode ser violento ao corpo e à autonomia da mulher. Por isso, Paulo Noronha reforça a importância da busca por informações nesse momento. “As gestantes precisam ter a liberdade de decidir qual tipo de parto se encaixa melhor nas suas expectativas e de acordo com a sua saúde. A sociedade tem debatido questões sobre autonomia da mulher, direitos sexuais e reprodutivos. E tendo conhecimento sobre parto humanizado, a mulher pode compreender melhor que essa prática é sim muito segura”, diz.

E é também graças às redes sociais que o assunto têm se tornado pauta de debates em grupos de gestantes, tentantes e feministas, principalmente após a prática ter sido escolhida por muitas famosas e influenciadoras, como Carol Castro, Gisele Bündchen, Bela Gil, Sophie Charlotte, Isis Valverde e Juliana Alves. De acordo com a obstetriz Bianca Rocha, a divulgação do parto humanizado abre um campo para discussão que é necessário e serve para desmistificar o assunto. No entanto, o parto humanizado deve ser tratado com a seriedade que merece. “No mercado hoje em dia existem muitos profissionais que se dizem da linha da humanização, mas que na verdade não são”, ressalta Bianca.

O fato é que, a partir do momento em que grandes personalidades falam sobre o parto humanizado, a cultura da cesárea no Brasil é questionada e proporciona a possibilidade de conversar de forma correta sobre a humanização. A tentativa de um parto normal com boa assistência sempre será a melhor escolha para a mãe e filho, levando em consideração a segurança de ambos acima de tudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close