SÉRIE C

Escola de Samba Império Serrano do Rio de Janeiro cria time de futebol profissional

O mais novo clube de Serrinha em Madureira vai ‘desfilar em campo’ no mês de maio na Série C Carioca

Como todo Carnaval tem seu fim, a Quaresma representa o momento de avaliação das escolas de samba que acabaram de desfilar na avenida, antes de dar o pontapé nas ideias do ano seguinte. Em 2021, com a festa cancelada, o período entre o fim da folia de Momo e o início da Semana Santa ganhou outro significado. Ao menos para o G.R.E.S. Império Serrano do Rio de Janeiro. A agremiação aproveitou o momento para gestar outro tipo de projeto: um time de futebol profissional.

Em pouco mais de um mês, desde a criação oficial do clube, o Império filiou-se à Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), praticamente montou uma equipe, anunciou o uniforme e já tem data de estreia confirmada: dia 22 de maio, contra o Búzios, em Cabo Frio, na região dos lagos.

A partida é válida pela Série C do Campeonato Carioca, o equivalente à quinta divisão. O torneio será disputado pela primeira vez este ano e contará com a participação de 17 times, no modelo de turno único, semifinais e finais em setembro.

Parceira de universidade

O cenário não é uma maravilha, como canta o samba mais famoso da escola, mas mostra que o projeto não pretende ser penas uma aventura. Foram investidos R$ 200 mil só para a filiação como clube — referentes às taxas e outros encargos cobrados pela Ferj. Notoriamente com dificuldades financeiras há anos, o Império Serrano contou com parcerias para dar vazão ao sonho.

— O projeto surge dentro do contexto social da escola, que sempre ofereceu vários esportes na quadra, e pensamos fortalecer a imagem do Império Serrano com o futebol. Num ano de pandemia, estamos praticamente parados, sem a receita dos eventos na quadra e dos desfiles, contamos com as parcerias para colocar o projeto de pé. São cinco cotas de patrocínio — conta o presidente Sandro Avelar.

A associação com o futebol já vem rendendo frutos, de acordo com Avelar. Desde o anúncio da criação do time, em março, o programa de sócio da agremiação cresceu com a venda das camisas oficiais. O programa, inicialmente, era voltado apenas para a escola de samba, mas agora irá abarcar também o esporte, com vantagens para a torcida como qualquer outro plano semelhante.

Para dar mais visibilidade ainda ao projeto, há a ideia de que as partidas como mandante sejam transmitidas pela TV Império Serrano, que já tem programação própria ligada ao samba. O time irá mandar seus jogos em Conselheiro Galvão, estádio do Madureira.

Esta é mais uma das parcerias feitas para colocar o projeto de pé. A principal, até o momento, é com a Universidade Castelo Branco, que cedeu a estrutura para treinos de campo e preparação e avaliação física.

Foi na sede da universidade em Realengo que o clube fez sua primeira peneira sob os olhares do técnico Marcelo Mariano, contratado para comandar o time.

Ex-bandeirinha da Ferj e técnico da base com passagens por Bangu e América, por exemplo, o treinador selecionou dois jogadores da comunidade da Serrinha, onde fica a escola de samba. A participação ativa dos moradores locais é também um dos objetivos do projeto.

Uma outra peneira, que será marcada após o fim das medidas restritivas, será realizada em local próximo à comunidade. Apesar de não ser obrigatório pela Ferj, o Império Serrano quer montar um time sub-17 e aproveitar as jóias locais.

Concurso para hino

O time não será formado somente por jogadores da peneira. Mariano acertou a contratação de jogadores com passagens em clubes profissionais, como o goleiro Daniel, do Madureira, e o atacante Thompson, do Bangu.

— Já temos a espinha dorsal, com 12 nomes contratados e mais 10 jogadores da peneira. Vamos atrás de mais uns cinco ou seis jogadores — diz Mariano, que traçou objetivo para a primeira competição do novo clube. — Todo mundo entra para ganhar. O objetivo é subir para B2 e disputá-la ainda este ano.

Apesar de levar as cores, o nome e o símbolo da coroa imperial da Serrinha, o Império Serrano Esporte Clube tem razão social diferente da escola de samba. As diretorias, no entanto, são formadas praticamente pelas mesmas pessoas. O apoio logístico ao clube também está sendo feito pela escola de samba.

Mas ao contrário de uma escola de samba, que tem viés cultural e recebe subsídios da prefeitura, o clube Império Serrano tem cunho social e esportivo. É por esse meio que espera, em breve, arrecadar mais fundos via Lei de Incentivo ao Esporte.

Agora, só restar escolher o hino oficial do clube. Para quem ostenta alguns dos maiores sambas de todos os tempos não será difícil escolher um para o “sonho genial” do Império.

— Vamos fazer um concurso nos moldes do samba-enredo — diz Avelar.

Por Tatiana Furtado (O Globo)

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo