MARANHÃO

Lítia Cavalcanti fala sobre os ataques que vem recebendo de aliados de Carlos Brandão

A Promotora de Justiça ainda revelou que o problema do ferryboat não é só incompetência, mas um possível esquema milionário

Após acusações do deputado estadual Yglésio Moyses, na Assembleia Legislativa, contra a Promotora de Justiça, Lítia Cavalcanti, ela realizou uma entrevista coletiva nesta quarta-feira (13). Na coletiva, novas informações levam a crer que a crise do ferry não é mais só um caso de grande incompetência, mas de corrupção.

A titular da Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor disse que está sendo ameaçada por conta da investigação do serviço de ferry boat no Maranhão. A promotora revelou que existe muito mais interesse por trás dessa questão e que é um caso grave que deve ser investigado pela Polícia Federal.

“Não se trata mais de ferry. Vai ser provado coisa muito mais grave. Eu não posso adiantar porque é investigação federal. Mas é muito grave. É algo muito grande e cifras milionárias. Eu sei as pessoas que estão envolvidas e eu tenho muito material, mas não posso divulgar porque estaria violando o sigilo funcional e atrapalhar as investigações […] Isso vai ter consequência penal contra essas pessoas que estão corroendo o dinheiro público “.

Sobre os ataques que recebeu primeiro em blogs e depois na tribuna da Assembleia, Lítia respondeu. “Desde a semana passada eu tenho sido atacada da forma mais vil que eu já fui na minha carreira. E hoje pelo deputado Yglésio. […] Trabalhamos na situação do ferry há quase 11 anos. Trabalhamos durante este período pela licitação. Não que fosse solucionar. Mas é a forma lícita”.

A Promotora de Justiça ainda lembrou toda a história do ferry, da chegada ilegal e a ilegalidade da tentativa de circulação do ferry José Humberto e da famigerada intervenção no sistema, afirmando que acabou com o transporte aquaviário da Baía de São Marcos.

Ela disse que os ataques envolvendo sua família foram forjados dentro de um poder na Praça Pedro II, o que deixa claro que ela se referia ao governo do estado, que tem interesse em parar as investigações e colocar a empresa do Carlos Banacch para operar a qualquer custo. Sobre os interesses que a investigação federal ainda irá revelar. “Criaram este factoide contra mim na Praça Pedro II. Pegam um blog sem credibilidade e replicam no whatsapp. Imaginem como será agora na campanha política. O deputado Yglésio foi covarde e me acusa de corrupção. Quero que ele prove. Não só de agora, mas de toda minha carreira”, finalizou.

Por Clodoaldo Corrêa

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!