JUSTIÇA

No Piauí, juiz manda soltar o filho cachaceiro preso por dirigir embriagado

O filho do juiz foi preso após atropelar uma pessoa ao dirigir embriagado

A justiça no Brasil está cada vez mais avacalhada. No Piauí, o filho do juiz Noé Pacheco de Carvalho, da 1ª Vara da Comarca de Floriano-PI, causou um acidente na cidade, deixando uma motociclista ferida e horas depois foi solto por ordem do próprio pai, sem pagar fiança.

Lucas Manoel Soares Pacheco dirigia um Nissan Kics quando bateu na mulher que conduzia uma motocicleta. O namorado da vítima, que pilotava outra moto, perseguiu o motorista e acionou a polícia. O cachaceiro foi à delegacia apenas conhecer o delegado, não deu em nada, simplesmente porque o pai é um poderoso juiz.

Lucas foi preso em flagrante após ser constatado que ele estava embriagado. O teste de etilômetro (bafômetro) apontou o teor de 1,6 mg/l de álcool por litro. O cachaceiro havia mamado umas pingas antes de pegar ao volante. Poucas horas depois o jovem foi liberado da prisão por decisão do próprio pai.

“O autuado é meu filho e nessa condição eu estaria tecnicamente impedido de me manifestar neste procedimento, todavia algumas situações devem ser levadas em consideração. O meu substituto legal encontra-se em gozo de férias, não havendo previsão legal indicando qual o outro juiz teria competência para atuar neste feito. Somente o Tribunal de Justiça poderá designar outro juiz para conduzir este procedimento, o que certamente levará tempo, acarretando demora injustificada na defesa do autuado. O crime imputado ao autuado comporta liberdade provisória, com ou sem fiança”, justificou o pai da canetada em sua decisão.

“Decido pela concessão de liberdade provisória ao autuado, independente da prestação de fiança, com fundamento no art. 325, § 1º, inciso I, do CPP, vez que não dispõe de renda própria, sujeitando-o ao comparecimento a todos os atos do processo, para os quais for intimado, assim como informar eventual mudança de endereço residencial”, completou.

Mesmo não tendo renda própria, o cachaceiro filho do magistrado, sai para encher a cara de cana e atropelar quem tiver pela rua, já que se algo acontecer, o papaizinho livra o filhinho.

Se não tem renda própria pra pagar fiança, quem patrocina as cachaçadas do filho do juiz? Seria o pai generoso?

Com informações do Blogue do Djalma Rodrigues

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo