ELEIÇÕES

Paulo Victor deve ser o nome de consenso para ser o novo presidente da Câmara de São Luís-MA

O jovem parlamentar do Partido Comunista do Brasil já trabalha nos bastidores e tem apoio de vereadores de várias alas dentro da Câmara

Faltando ainda 16 meses para findar o mandato do presidente da Câmara Municipal, Osmar Filho, o jovem vereador de São Luís, Paulo Victor (PCdoB), já trabalha nos bastidores em busca de apoio visando ser o nome de consenso para comandar a Casa Legislativa Municipal a partir de 2023.

Conversando com alguns parlamentares, Paulo Victor é visto com bons olhos por uma grande parte dos vereadores, incluindo novos e veteranos. Segundo uma fonte do G7, muitos parlamentares já garantiram apoio ao Paulo Victor, mas outros aguardam a decisão de seus partidos, já que alguns aliados também sonham com a cadeira grande da Câmara Municipal de São Luís.

Na última sexta-feira (6), o vereador Jhonatan Soares (PT), que integra o coletivo “Nós”, afirmou durante entrevista ao programa Questão de Ordem da rádio Nova FM (93.1 MHz), que ele e seus companheiros de mandato, estão vendo com bons olhos a movimentação e a mobilização do vereador Paulo Victor, na disputa pela presidência da Câmara Municipal para 2023.

“A Câmara de Vereadores precisa ter a sua autonomia, até porque ela é um órgão fiscalizador da ação do Executivo e a gente precisa ter uma Mesa Diretora, a gente precisa ter uma presidência que seja isenta a gestão municipal. Neste sentido, a gente vê com bons olhos a movimentação e a mobilização do companheiro Paulo Victor”, declarou o parlamentar do PT ao dar um alfinetada em Osmar Filho.

Durante a entrevista, os apresentadores Marcelo Minard, Karol Sampaio, Isaías Rocha e Thales Castro, questionaram Jhonatan Soares sobre a relação o Executivo e Legislativo Municipal. Jhonatan Soares foi categórico ao falar que o pleito interno no Palácio Pedro Neiva de Santana, também interessa o prefeito Eduardo Braide (Podemos), mas também não vê com bons olhos essa articulação do chefe do executivo municipal, por ferir o princípio da separação dos poderes.

“É óbvio que existe interesse por parte do prefeito que tenha um presidente aliado da base, o que para nós do coletivo, não soa com bons olhos. Com a presidência aliada à base do prefeito, a Câmara parece uma extensão da prefeitura e isso não pode acontecer”, salientou o vereador petista.

Nos bastidores da política, surgiu um boato em que Eduardo Braide teria colocado os vereadores de sua base aliada para votar em Osmar Filho, com o objetivo de eleger Dr Gutemberg Araújo (PSC) para presidir a Câmara a partir de 2023. Só que atualmente quem se movimenta é Paulo Victor, que em janeiro anunciou sua candidatura contra Osmar, mas acabou retirando.

Com informações Blogue Isaías Rocha

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo