BEQUIMÃO

Pesquisas da UFMA vão ajudar política de segurança alimentar nos quilombos de Bequimão

A parceria entre Universidade Federal do Maranhão e Prefeitura de Bequimão vai reforçar o trabalho já vem sendo realizado pelo prefeito João Martins

Representantes da Prefeitura de Bequimão estiveram reunidos na semana passada com pesquisadores da Universidade Federal do Maranhão – Campus Pinheiro, para discutir a parceria entre a instituição e o município na condução de duas novas pesquisas nas comunidades quilombolas do município.

Desta vez, os estudos vão ser voltados para a avaliação das condições nutricionais de crianças de até dez anos de idade que residem nas comunidades e são alunas da rede municipal de ensino, como explica o secretário municipal de Igualdade Racial de Bequimão, Fábio Silva.

“Essa é uma pesquisa do grupo da UFMA, com recursos da Fapema, que já fez o mesmo trabalho com idosos e agora vai trabalhar com as crianças do nosso município. A reunião foi muito proveitosa e serviu para alinhar a parceria em prol do levantamento desses dados que vão nortear a implementação de políticas voltadas para a garantia da segurança alimentar das nossas crianças quilombolas”, argumenta Fábio Silva, que discutiu o assunto junto aos pesquisadores, acompanhado dos também secretários municipais Ramone Araújo (Saúde) e professor Zeca (Educação, Juventude, Esporte e Lazer).

Os estudos têm como tema “Avaliação da saúde e rastreamento da segurança alimentar e nutricional em crianças menores de 10 anos de idade da rede pública de ensino das comunidades remanescentes quilombolas pertencentes a uma cidade da baixada maranhense – MA.” e “Desenvolvimento de estratégias nutricionais para prevenção de desvios nutricionais em crianças quilombolas do município de Bequimão, Maranhão”.

Segundo os pesquisadores, a escolha deve-se ao fato de que as comunidades quilombolas estão expostas a desigualdades sociais. Desse modo, a alta vulnerabilidade reflete na saúde dos moradores, atingindo principalmente a população infantil. A contabilização de dados sobre o estado nutricional de crianças quilombolas dessas localidades, além do aumento da prevalência de desvios nutricionais, com início na infância, são outros desafios a serem enfrentados a partir dos resultados.

Ainda de acordo com os pesquisadores, os estudos vão possibilitar a promoção de estratégias efetivas a partir da implantação de ações de avaliação, manejo e pesquisa da saúde infantil baseada nos critérios listados na Caderneta de Saúde da Criança, do Ministério da Saúde. A pesquisa do estado nutricional também vai favorecer o desenvolvimento de ações para prevenir desvios nutricionais e a prevalência de anemia em crianças da rede pública de ensino que residem nos quilombos de Bequimão.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido!!!