LIMPEZA PÚBLICA

Praias de São Luís viram fossas de dejetos

Tomar banho nas praias da capital maranhense é mais perigoso que no Rio Paciência

Sair de casa para tomar um banho nas praias de São Luís, o risco é maior que entrar pelado no Rio Paciência, um dos mais poluídos do Brasil. Se no período do verão as praias já estavam poluídas, imagina agora no período chuvoso, que os dejetos que caem no mar se espalham por toda orla marítima da grande Ilha de São Luís.

O que tudo indica, as autoridades municipais e estaduais pouco estão se preocupando com o risco que as praias poluídas causam nos banhistas. O problema não está apenas na saúde, como também na queda das vendas nas praias, principalmente para os donos de bares e restaurantes, já que o público se afastou das areias ludovicenses por causa dos dejetos humanos despejados in natura na orla marítima de São Luís, poluindo um ecossistema importante de nossa Ilha, fruto de grandes empreendimentos imobiliários, em áreas nobres da capital maranhense.

Quase todas as praias de São Luís (MA) estão impróprias para o banho por causa da falta de saneamento na Ilha. Em fevereiro do ano passado, 100% das praias na capital do Maranhão (onde vivem aproximadamente 1 milhão de pessoas) estavam impróprias para o banho. Em 2019 não é diferente, já que o inverno chegou bem mais cedo e a falta de cuidado é ainda maior.

O assunto virou notícia e constrangeu as autoridades. São décadas de descaso e desrespeito com a população e os turistas. O turismo, aliás, é um dos setores da economia que mais gera emprego e renda. Como imaginar uma Ilha – cercada de praias – onde o risco de contaminação ainda é tão elevado? São Luís não é diferente de boa parte das cidades brasileiras, onde os moradores pagam taxa de esgoto, mas os dejetos correm a céu aberto pelas ruas da capital. 

Com a chegada das férias durante o mês de janeiro, as praias da capital maranhense recebem o dobro de turistas, que mesmo observando as placas que alertam sobre o problema, ignoram o aviso e se arriscam tomando banho e se divertindo em águas poluídas, algo que pode ser um perigo a saúde.

Um dos pontos mais críticos de poluição, localizado no Calhau, uma grande língua negra se espalha pela praia e escurece a água do mar. A coloração escura da água é causada pela poluição do esgoto sem tratamento.

Segundo a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA), os pontos de esgoto dos rios localizados próximo as praias estão sendo tratados pelas estações de tratamento de água. Mas o problema continua o mesmo há meses e nada melhora para o banhista e donos de bares e restaurantes.

Confira todas as praias que podem causar risco a saúde 

  • Praia da Ponta d’Areia – ao lado do Forte Santo Antônio
  • Praia da Ponta d’Areia – atrás do Hotel Praia Mar
  • Praia da Ponta d’Areia – atrás do Bar do Dodô
  • Praia da Ponta d’Areia – em frente à Praça de Apoio ao Banhista
  • Praia da Ponta d’Areia – em frente ao Edifício Herbene Regadas
  • Praia da Ponta d’Areia – em frente ao Hotel Brisa Mar
  • Praia de São Marcos – em frente aos bares Do Chef e Marlene’s
  • Praia de São Marcos – em frente à Barraca da Marcela
  • Praia de São Marcos – em frente ao Agrupamento Batalhão do Mar
  • Praia de São Marcos – em frente ao IPEM e ao Bar Kalamazoo
  • Praia de São Marcos – Foz do Rio Calhau
  • Praia do Calhau – à direita da elevatória II da CAEMA
  • Praia do Calhau – em frente a Pousada Tambaú
  • Praia do Calhau – em frente ao Bar Malibu
  • Praia do Olho d’Água – à direita da Elevatória Pimenta I
  • Praia do Olho d’Água – à direita da Elevatória Iemanjá II
  • Praia do Meio – em frente ao Bar do Capiau
  • Praia do Meio – em frente ao Bar da Praia
  • Praia do Araçagi – em frente ao Fatima’s Bar
  • Praia do Araçagi – em frente ao Bar Novo Point
  • Praia do Araçagi – em frente ao Bar do Isaac

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo