ACIDENTE

Tragédia aérea é evitada em Belo Horizonte-MG

Boeing 777 da Latam levava 339 passageiros e 16 tripulantes quando apresentou problemas elétricos.

O Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, tem condições normais de operação nesta sexta-feira (21), de acordo com a concessionária BH Airport. Na noite passada, a pista foi totalmente liberada às 22h45, isto é, 21 horas após o pouso de emergência de um Boeing 777 da Latam, com 339 passageiros e 16 tripulantes. Houve problemas elétricos.

Até as 6h desta sexta, havia um voo cancelado e um com atraso no terminal dentre os sete previstos até o horário. A concessionária não infomou se houve uma redução na quantidade de voos, e afirma que todas as operações solictadas pelas companhias aéreas estão sendo realizadas.

Em média, 30 mil pessoas passam diariamente por Confins em 300 voos, segundo a BH Airport.

Pouso forçado

Nesta quinta-feira (20), após o pouso forçado, a pista foi fechada à 1h43. Passageiros relataram susto e choro dentro do avião. Desde as 12h, o funcionamento foi parcial, com pousos e decolagens partindo da mesma cabeceira. Aviões menores foram priorizados, que não precisam usar toda a pista, que tem 3 mil metros de extensão.

Um avião cargueiro da Força Aérea Brasileira (FAB) chegou, por volta das 17h50 ao terminal com dois macacos hidráulicos e oito pneus, pesando 250 quilos cada. O equipamento, que tem seis toneladas.

Em nota, a empresa não esclareceu o que aconteceu com a aeronave e afirmou que não estava medindo esforços para minimizar impactos a passageiros. Os passageiros que estavam no voo LA8084 embarcaram, no final desta tarde, para Guarulhos, de onde seguiriam novamente com destino a Londres.

A TV Globo apurou que os pneus foram danificados durante o pouso de emergência por problemas elétricos. Como o avião estava pesado por estar com tanque cheio para chegar a Londres, o sistema de sensores e plugues que esvazia pneus para evitar que eles estourem e causem acidente grave foi acionado. Na chegada a Confins, o avião foi recebido por brigadistas, que jogaram espuma para evitar explosão. Oito dos 14 pneus estavam vazios.

Até às 21h, foram registrados 143 cancelamentos, além de atrasos em 47 pousos e em 40 decolagens.

A Azul chegou a transferir voos para o Aeroporto da Pampulha, que atualmente opera apenas para voos regionais e executivos por determinação do Tribunal de Contas da União.

Por G1 MG

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo