HOSPITAL

Sem leito nos hospitais do Maranhão, número de pacientes com Covid-19 na fila de espera já está gigante

O número de solicitação de regulação de leitos é cada vez maior, principalmente para pacientes do interior do Maranhão

Sem leito nos hospitais de alta complexidade do Maranhão, a fila de espera por um leito nas alas para tratamento da Covid-19 na capital e cidades regionais, coloca em risco centenas de maranhenses na fila de espera por regulação de leitos de UTI. Cidades grandes e pequenas sofrem com a mesma carência e nada é feito, além das propagandas caras que o governador do Maranhão paga para se auto promover.

Nos últimos meses existe uma guerra clara entre Jair Bolsonaro e Flávio Dino e sabe quem está adorado essa briga? É claro que é o novo coronavírus, o único beneficiado nessa briga ideológica imunda, onde o povo morre em série, o dinheiro público é gasto com publicidade, e saúde pública cada vez mais no abismo, principalmente em tempos de pandemia.

Dos 217 municípios maranhenses, menos de 10% possuem hospitais de alta complexidade, na maioria das unidades de saúde servem como hospitais regionais para cobertura de 20 ou 30 municípios da região e muitos funcionando precariamente e com o efetivo reduzido. Enquanto isso maranhenses morrem na fila de espera por um leito e o governador fazendo propaganda enganosa.

Diretores de hospitais e secretários municipais de Saúde no interior do Maranhão tem sofrido para conseguir um leito em hospitais de alta complexidade. Sofre o gestor municipal e a família do paciente que fica olhando seus parentes morrendo na fila de espera sufocado por falta de leito.

O Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde diz uma coisa e a realidade diz outra completamente diferente da realidade hospital no Maranhão, principalmente em São Luís, Imperatriz, Caxias, Bacabal, Pinheiro, Timon, Codó e Barra do Corda.

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo