POLÍTICA

Sem o básico na SEMCAS, servidores realizam protesto na porta da prefeitura de São Luís

A péssima política de Assistência Social na gestão Eduardo Braide sucateou a SEMCAS nos últimos meses

Mesmo com empresas licitadas pela Prefeitura de São Luís para fornecimento de produtos na SEMCAS, os abrigos permanecem vazios e deficitários. Segundo fontes, a coisa não está pior, porque funcionários que trabalham nos abrigos estariam fazendo a famosa “vaquinha” para comprar produtos como arroz, feijão, macarrão e etc, para que os adolescentes não fique com fome. Está um verdadeiro caos!

Nesta quarta-feira (15), o Fórum Municipal dos Trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social (FMTSUAS) realizou, em frente à Prefeitura de São Luís, um Ato Público “contra o desmonte da Assistência Social na capital maranhense”. Servidores da SEMCAS foram cobrar condições de trabalho e de sobrevivência para os usuários de abrigos.

Protesto aconteceu em frente ao Prédio da Prefeitura, na Praça Dom Pedro II, em São Luís-MA. Fotos: Reprodução

No último dia 06 de dezembro, o prefeito Eduardo Braide (PSD) exonerou a titular da Semcas, Ana Carla Furtado, acusada de corrupção, além de 96 servidores da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social. O órgão é responsável pela gestão e execução dos serviços de assistência social em São Luís.

“Estamos exigindo respeito e providências do prefeito Braide, que exonerou a secretária e mais de noventa servidores da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), prejudicando servidores e usuários do Sistema de Assistência Social”, enfatizou Denise Albuquerque, servidora da Semcas, ao expressar total apoio e solidariedade da Resistência do PSOL aos trabalhadores e usuários do Serviço Único de Assistência Social (Suas) em São Luís.

A atitude do prefeito se deu após denúncias na Câmara de Vereadores de São Luís e na Assembleia Legislativa do Maranhão sobre um possível esquema de corrupção na Semcas. O esquema seria liderado por uma secretaria adjunta, que respondia interinamente pela pasta desde a saída da antiga secretária.

A exoneração de todos os servidores com cargos comissionados da Semcas, estaria inviabilizando a operacionalização dos serviços executados pelos Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), o Centro de Referência Especializada de Assistência Social (CREAS), Centros de População de Rua (Centros Pops) e instituições de Acolhimento, além de impossibilitar o fechamento de relatórios de gestão e censos que são feitos no mês de dezembro, essenciais para a liberação de recursos nos meses seguintes.

Mas o problema pode ser ser ainda maior, caso o Ministério Público investigue a gestão Braide, que sucateou a SEMCAS nos últimos meses. E agora, Braide está nomeando pessoas alinhadas à sua gestão sem a mínima experiência no trabalho em que teria sido nomeada. Tem funcionária nomeada recém formada, que está praticamente estagiando para saber como executar suas atividades.

Por Agência Tambor

Mostre mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo